A Trabalho, Educação e Saúde (TES) é uma revista científica em acesso aberto, editada pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz.
Foto: 8photo/Freepik

Contexto sociopolítico e a organização da força de trabalho e oferta de serviços da Atenção Básica

  • Wellington Pereira Lopes
  • Brígida Gimenez Carvalho
  • Fernanda de Freitas Mendonça
  • Stela Maris Lopes Santini
  • Caroline Pagani Martins
  • Wellington Pereira Lopes

    Universidade Estadual de Londrina, Departamento de Saúde Coletiva, Londrina

    https://orcid.org/0000-0001-6997-9980

     

       

     

     

     

    Brígida Gimenez Carvalho

    Universidade Estadual de Londrina, Departamento de Saúde Coletiva, Londrina

    https://orcid.org/0000-0003-3850-870X

     

     

    Fernanda de Freitas Mendonça

    Secretaria Estadual de Saúde do Paraná, 16ª Regional de Saúde de Apucarana, Apucarana

    https://orcid.org/0000-0002-3532-5070

     

       

     

     

     

    Stela Maris Lopes Santini

    Universidade Estadual de Londrina, Departamento de Saúde Coletiva, Londrina

    https://orcid.org/0000-0002-4752-4528

    Possui graduação em Administração de Empresas pela Fundação Faculdade Estadual de Ciências Econômicas de Apucarana-FFECEA (1984). Mestre em Gestão de Sistemas de Saúde pela Universidade Estadual de Londrina - UEL (2011) (mestrado profissionalizante). Doutora em Saúde Coletiva (turma 2014/2018) na Universidade Estadual de Londrina - UEL. Atualmente é Administradora da SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO PARANA-SESA, lotada na 16ª Regional de Saúde de Apucarana, atuando principalmente nos seguintes temas: avaliação, educação permanente em saúde, gestão do trabalho no SUS, Saúde do Trabalhador, Controle Social, Administração Pública, modelos gerenciais. Tutora de Educação a distância (EaD). Instrutora de cursos de pós graduação na área de Saúde Pública/Coletiva.

     

    Caroline Pagani Martins

    Universidade Estadual de Londrina, Departamento de Saúde Coletiva, Londrina

     

       

     

     

     



Resumo

Com o objetivo de analisar as repercussões do contexto sociopolítico e normativo para a organização do trabalho na Atenção Básica, ao se considerarem a composição, as formas de provimento dos trabalhadores e a percepção de gestores sobre o desempenho conforme o tipo de vínculo, realizou-se um estudo qualitativo em 16 municípios da macrorregião Norte do Paraná. Foram entrevistados coordenadores e secretários de saúde de julho a outubro de 2021. Os achados foram apresentados em três categorias: organização da Atenção Básica; formas de contratação dos profissionais; e percepção dos gestores sobre o desempenho dos trabalhadores conforme o vínculo de trabalho. Há preponderância da Estratégia Saúde da Família na organização do trabalho nos 16 municípios estudados, nos quais se verificou a existência de equipes de Atenção Primária em apenas três. Sobre as formas de contratação, houve aumento de vínculos precários. Quanto à percepção dos gestores a respeito do desempenho relacionado ao tipo de vínculo, fica evidente o ideário de que profissionais terceirizados apresentam maior dedicação quando comparados àqueles que contam com estabilidade. O contexto sociopolítico e normativo interferiu na organização e na forma de provimento dos profissionais, assim como na percepção dos gestores em relação ao desempenho e vínculo de trabalho.

Foto: 8photo/Freepik

Palavras-chave

Atenção Primária à Saúde,
Estratégia Saúde da Família,
Gestão em saúde,
Recursos humanos em saúde.

Download


Métricas

  • Visualizações - 482

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License. Copyright (c) 2023 Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)