A Trabalho, Educação e Saúde (TES) é uma revista científica em acesso aberto, editada pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz.

Contribuições da antropologia para o campo da educação em saúde no Brasil

  • João Vinícius dos Santos Dias
  • Jaqueline Ferreira
  • João Vinícius dos Santos Dias

    Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade Federal do Rio de Janeiro.

    Jaqueline Ferreira

    Universidade Federal do Rio de Janeiro, Instituto de Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Doutora em Antropologia Social pela École des Hautes Études en Sciences Sociales, Paris, França. Pós-doutora em Antropologia da Saúde pela Escola Nacional de Saúde Pública Sergio Arouca, Fundação Oswaldo Cruz



Resumo

O objetivo deste artigo é resgatar aspectos relativos à constituição da educação em saúde como campo científico. Mostra as principais transformações ocorridas desde as concepções autoritárias e etnocêntricas em relação a seus gruposalvo até as atuais propostas de educação popular de valorização do saber popular, inspiradas no pensamento de Paulo Freire. Defende que a postura do antropólogo em campo, ao buscar valorizar o saber do Outro como tão legítimo quanto o acadêmico, pode auxiliar os profissionais de saúde na prática de uma educação em saúde dialógica, para os grupos aos quais se destina.

Palavras-chave

educação em saúde,
antropologia,
saúde coletiva,
etnografia

Download


Métricas

  • Visualizações - 28

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License. Copyright (c) 2022 Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio