A Trabalho, Educação e Saúde (TES) é uma revista científica em acesso aberto, editada pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz.

Individualização dos cuidados em saúde e apassivação do usuário no âmbito da educação em saúde na Estratégia Saúde da Família

  • Gilberto Éder de Oliveira Júnior
  • Marcel Brentano Diehl
  • Gerson Mattos
  • João Luiz Gurgel Calvet da Silveira
  • Gilberto Éder de Oliveira Júnior

    Universidade Regional de Blumenau, Departamento de Medicina, Blumenau, Santa Catarina, Brasil.

    Marcel Brentano Diehl

    Universidade Regional de Blumenau, Departamento de Medicina, Blumenau, Santa Catarina, Brasil.

    Gerson Mattos

    Universidade Regional de Blumenau, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Blumenau, Santa Catarina, Brasil.

    João Luiz Gurgel Calvet da Silveira

    Universidade Regional de Blumenau, Departamento de Odontologia, Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva, Blumenau, Santa Catarina, Brasil



Resumo

A pesquisa que originou este artigo teve como objetivo compreender as representações de profissionais e usuários da Estratégia Saúde da Família sobre educação em saúde. Tratou-se de estudo com abordagem qualitativa e técnicas de observação participante e entrevista, por meio da análise de conteúdo, realizado em 2008 e 2009. A representação do grupo denotou ‘educação’ e 'saúde' como bens de valor social, cultural e histórico a serem preservados na família e na sociedade em geral, ancorando o cuidado com a saúde em estratégias que se sobrepõem à prescrição de procedimentos e comportamentos. No entanto, profissionais e usuários dos serviços de saúde associam ‘educação em saúde’ à transmissão de conhecimentos técnicos específicos, a ser realizada por profissionais capacitados. Nas práticas de educação em saúde, prevalecem: prescrição de hábitos saudáveis na dimensão individual; grupos temáticos focados em enfermidades ou estados de saúde específicos; comportamento passivo dos usuários; e dificuldades de adesão e ações de caráter compulsório. A transmissão de conhecimento e a prescrição de hábitos para o autocuidado individual são as formas prevalentes de representar a educação em saúde para todos os sujeitos da pesquisa. As práticas de educação em saúde observadas podem ser caracterizadas como práticas tradicionais de atenção à saúde.

Palavras-chave

educação em saúde,
saúde coletiva,
atenção primária à saúde,
representações sociais

Download


Métricas

  • Visualizações - 84

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License. Copyright (c) 2022 Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.