A Trabalho, Educação e Saúde (TES) é uma revista científica em acesso aberto, editada pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz.

Formação em práticas integrativas e complementares em saúde: desafios para as universidades públicas

  • Marilene Cabral do Nascimento
  • Valéria Ferreira Romano
  • Ana Claudia Santos Chazan
  • Carla Holandino Quaresma
  • Marilene Cabral do Nascimento

    Universidade Federal Fluminense, Centro de Ciências Médicas, Instituto de Saúde da Comunidade, Niterói, Rio de Janeiro, Brasil

    Valéria Ferreira Romano

    Universidade Federal do Rio de Janeiro, Faculdade de Medicina, Departamento de Medicina de Família e Comunidade, Rio de Janeiro, RJ, Brasil

    Ana Claudia Santos Chazan

    Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Faculdade de Ciências Médicas, Departamento de Medicina Integral, Familiar e Comunitária, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.

    Carla Holandino Quaresma

    Universidade Federal do Rio de Janeiro, Faculdade de Farmácia, Departamento de Medicamentos, Rio de Janeiro, RJ, Brasil.



Resumo

Legitimadas pela Organização Mundial da Saúde, as Práticas Integrativas e Complementares apresentam demanda crescente e têm a formação profissional como um dos maiores desafios para o seu avanço no Sistema Único de Saúde. O estudo quantitativo descrito apresenta a oferta de disciplinas e cursos em Práticas Integrativas e Complementares em seis instituições de ensino superior públicas no Estado do Rio de Janeiro, em 2014, identificada em seus respectivos sites e secretarias segundo as variáveis: instituições de ensino superior, subárea de saúde, nível do ensino (graduação e pós-graduação), subtemas das Práticas Integrativas e Complementares (Homeopatia, Acupuntura, Meditação etc.), formato (obrigatório, eletivo ou optativo) e conteúdo (informativo ou formativo). Os resultados mostram uma oferta de 56 unidades de ensino, distribuída em quase todas as subáreas de saúde, com maior concentração em cursos de Medicina, Farmácia e Enfermagem. De perfil predominantemente opcional e informativo, apresenta a Homeopatia, Meditação e Práticas Corporais como temas mais frequentes. A análise desta oferta, apoiada na perspectiva do cuidado integral e referenciada em literatura nacional e internacional, aponta desafios para a ampliação e qualificação do ensino de Práticas Integrativas e Complementares, dentre eles a inserção integrada em cursos de saúde visando a interação e complementaridade entre saberes distintos.

Palavras-chave

medicina complementar e alternativa,
práticas integrativas e complementares,
formação profissional em saúde,
racionalidades médicas,
integralidade

Download


Métricas

  • Visualizações - 71

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License. Copyright (c) 2022 Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio