A Trabalho, Educação e Saúde (TES) é uma revista científica em acesso aberto, editada pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz.

Edição Atual | v. 12 n. 3 (2014)

Publicação contínua
Artigo

Supervisão de trabalhadores de enfermagem em unidade básica de saúde

Lima, A M V;
Peduzzi, M;
Miyahara, C T S;
Fujimori, E;
et al.

10.1590/1981-7746-sip00006

Supervisão de trabalhadores de enfermagem em unidade básica de saúde

Aborda-se, neste artigo, a supervisão de trabalhadores de enfermagem de nível médio no atendimento da demanda espontânea em uma unidade básica de saúde na cidade de São Paulo. Seu objetivo foi analisar como se processa a supervisão desses trabalhadores e a maneira de atuação do supervisor. É um estudo qualitativo baseado na observação direta de uma semana típica de trabalho, com análise temática apoiada no software NVivo e no referencial da supervisão do processo de trabalho. Observaram-se 55 atendimentos realizados pelos trabalhadores de enfermagem com a solicitação de supervisão em 23 casos. Tanto nas solicitações de supervisão quanto nas respostas dos supervisores predominou o enfoque biomédico centrado em queixas agudas ou crônicas e prescrições medicamentosas e de exames. Concluiu-se que a supervisão dos trabalhadores de enfermagem de nível médio por profissional de nível superior na recepção da demanda espontânea potencializa a resolubilidade dessa atividade. Recomenda-se, no entanto, ampliar o enfoque da apreensão e da análise das necessidades do usuário na perspectiva da integralidade.


PDF

Fechar Mais informações

Artigo

Implantação de política de educação permanente em saúde no Rio Grande do Sul

Daniel, H B;
Sandri, J V d A;
Grillo, L. P.

10.1590/1981-7746-sip00007

Implantação de política de educação permanente em saúde no Rio Grande do Sul

A Política Nacional de Educação Permanente em Saúde foi instituída em 2004 como estratégia do Sistema Único de Saúde para a formação de recursos humanos. Uma portaria do Ministério da Saúde definiu diretrizes para a sua implementação, fortalecendo as escolas técnicas do Sistema Único de Saúde como instituições prioritárias na articulação e execução da formação de trabalhadores do nível médio. Este artigo foi elaborado com base em resultados de pesquisa qualitativa. A coleta de dados constituiu-se da análise temática dos documentos das oficinas de sensibilização e das entrevistas aplicadas a gestores regionais, estaduais e técnicos das coordenadorias regionais de saúde que participaram de oficinas de sensibilização, além de técnicos da Escola Estadual de Educação Profissional em Saúde do Rio Grande do Sul. Os resultados indicam que eles tinham conhecimentos sobre a portaria e que as potencialidades estavam no financiamento federal, no acesso ao Colegiado de Gestão Regional e no comprometimento dos envolvidos. Já as dificuldades eram a falta de recursos humanos na Secretaria de Estado de Saúde, ocasionando sobrecarga de trabalho; o fato de a escola não ser descentralizada e não estar credenciada no estado; a liberação dos trabalhadores municipais para formação e entraves operacionais na execução de recursos financeiros no estado.


PDF

Fechar Mais informações

Artigo

Privatização da gestão e organizações sociais na atenção à saúde

Andreazzi, M d F S d;
Bravo, M. I. S.

10.1590/1981-7746-sip00019

Privatização da gestão e organizações sociais na atenção à saúde

Este artigo procura discutir os avanços recentes da contrarreforma do Estado na saúde, particularmente na privatização da gestão para organizações sociais, e ainda apresenta um enfoque teórico explicativo desse fenômeno na atualidade. São investigadas as novas configurações do sistema de saúde brasileiro resultantes das interações entre o Estado e o mercado, mediante a abordagem dos anos que se iniciam no primeiro governo Lula, de 2003 até o presente, e enfoque das organizações sociais sediadas ou atuantes nos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo. A despeito das expectativas criadas de mudanças substanciais na política econômica e social, o governo Lula manteve elementos importantes dos governos que o precederam a partir dos anos 1990. No plano estadual, o governo Sérgio Cabral Filho priorizou claramente a terceirização. É feita uma análise crítica dos argumentos empregados para impulsionar essa contrarreforma, utilizando-se algumas análises de casos. Ao final, elabora-se uma tese explicativa desse avanço à luz das transformações da base material e da superestrutura política do capitalismo contemporâneo e da formação social brasileira.


PDF

Fechar Mais informações

Artigo

Extensão universitária e inclusão social de estudantes do ensino médio público

Lins, L;
Oliveira, M M V d;
Cattony, A C E;
, C R B;
et al.

10.1590/1981-7746-sip00003

Extensão universitária e inclusão social de estudantes do ensino médio público

A extensão universitária no processo educativo permite a elaboração da práxis e do conhecimento científico por meio de ações na comunidade, gerando um processo sistematizado de troca de saberes. Este estudo avaliou as intervenções educativas do ensino superior privado no ensino médio público aplicadas às áreas de ciências e prevenção em saúde, realizadas no período de fevereiro de 2005 a novembro de 2008. A intervenção capacitou vinte estudantes do ensino médio e realizou o Dia de Saúde do Jovem, com participação de 362 estudantes de Salvador, Bahia. Questionários anônimos foram preenchidos antes e depois de cada seminário e oficina, contendo questões sobre o tema abordado nas atividades. Observou-se a importância da intervenção do ensino superior privado na qualificação de estudantes do ensino médio da rede pública. O ensino superior privado pode participar da inclusão social, qualificando indivíduos para ingressarem no processo de formação profissional de forma mais atenta à dinâmica social. O grande desafio para o ensino superior da área da saúde continua sendo reconceituar o seu papel ativo na educação e na prevenção em saúde, com participação efetiva de acadêmicos, cientistas e educadores.


PDF

Fechar Mais informações

Artigo

A saúde mental dos profissionais da saúde e o programa de educação pelo trabalho

Martellet, E C;
Motta, R F;
Carpes, A. D.

10.1590/1981-7746-sip00010

A saúde mental dos profissionais da saúde e o programa de educação pelo trabalho

Estudo qualitativo que teve por objetivo abordar o cuidado aos profissionais que atuam em unidades de saúde, sobretudo os impactos, os significados e as relações no trabalho, além da vulnerabilidade ao estresse do trabalho. A pesquisa foi realizada na cidade de Santa Maria, estado do Rio Grande do Sul, com amostra de 14 participantes de cinco unidades de saúde. Os dados foram coletados por meio de entrevistas, observações e testagem, e, posteriormente, analisados mediante a análise de conteúdo. Como resultado, o trabalho apresenta-se de forma ora estruturante, ou seja, um operador fundamental na constituição do sujeito, ora desestruturante, capaz de desestabilizar a identidade e a personalidade e causar doenças mentais. As motivações, a relação com a comunidade e o diálogo nas relações de trabalho, bem como a necessidade de ações com os profissionais de saúde, na perspectiva de cuidar da saúde de quem cuida, foram percebidas como fundamentais na relação saúde mental e trabalho.


PDF

Fechar Mais informações

Artigo

O papel do trabalho e da formação acadêmica no projeto profissional do trabalhador da saúde

Manoel, R A;
Combinato, D S;
Gomes, F M d A;
Silva, K. F. d.

10.1590/1981-7746-sip00008

O papel do trabalho e da formação acadêmica no projeto profissional do trabalhador da saúde

O objetivo do estudo foi analisar os determinantes para a escolha da Estratégia Saúde da Família como campo de atuação profissional, a fim de verificar a influência da formação acadêmica e suas implicações. Foram entrevistados individualmente, de outubro de 2006 a fevereiro de 2007, 22 profissionais de nível superior (cirurgiões-dentistas, enfermeiros e médicos) de equipes da Saúde da Família de um município de Mato Grosso do Sul. As entrevistas foram gravadas, transcritas e analisadas de acordo com o referencial teórico-metodológico da psicologia sócio-histórica. Observou-se que a escolha profissional para a Estratégia Saúde da Família não ocorreu de forma reflexiva e crítica, sendo influenciada principalmente pela expansão da área e oferta de emprego, o que pode comprometer a atuação profissional. Sugere-se investimento nos processos educativos como uma forma de incentivar e favorecer a atuação e o compromisso dos profissionais com o Sistema Único de Saúde e, especialmente, a Saúde da Família.


PDF

Fechar Mais informações

Artigo

Concepções de enfermeiros sobre a política nacional de atenção integral à saúde do homem

Teixeira, D C;
Brambilla, D K;
Adamy, E K;
Krauzer, I. M.

10.1590/1981-7746-sip00009

Concepções de enfermeiros sobre a política nacional de atenção integral à saúde do homem

O estudo objetivou conhecer a implantação da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem na ótica dos enfermeiros. Trata-se de uma pesquisa qualitativa exploratória e descritiva, em que foram entrevistados 17 enfermeiros dos municípios da Associação dos Municípios do Entre Rios, em Santa Catarina. Após análise dos dados, considerou-se que há fragilidades no conhecimento da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem, bem como em ações realizadas nos municípios. A saúde do homem está centrada no modelo biomédico de atenção à saúde. Conclui-se que há necessidade de capacitação dos profissionais para o desenvolvimento da política de acordo com os seus pressupostos.


PDF

Fechar Mais informações

Artigo

Educação, pesquisa participante e saúde: as ideias de Carlos Rodrigues Brandão

Silva, A A d;
Souza, K. R. d.

10.1590/1981-7746-sip00012

Educação, pesquisa participante e saúde: as ideias de Carlos Rodrigues Brandão

Este artigo tem como objetivo analisar as obras do autor brasileiro Carlos Rodrigues Brandão relacionadas ao campo da educação e da pesquisa participante, destacando os seus pressupostos teóricos e estabelecendo relações com o campo da saúde. Realizamos uma investigação de caráter qualitativo e de tipo exploratório-descritivo, adotando a pesquisa bibliográfica como procedimento metodológico. 'Educação' foi a categoria teórica principal. Ademais, obtivemos as seguintes categorias empíricas advindas das análises textuais: 'educações'; 'sempre aprendemos uns com os outros'; 'uma antropologia participante'; 'liberdade, autonomia e esperança'; 'pesquisa participante'; 'diálogo: (re)construção do conhecimento ou construção de saberes'; 'pesquisa, conhecimento e tempo'; 'o sentido da palavra: direito de pronunciar o sentido do mundo'. Verificamos importantes fundamentos de uma concepção crítica de educação que podem contribuir como base para práticas democráticas de saúde, como, por exemplo, a ideia de 'diálogo' como pedra angular pedagógica, que possibilita processos de interação de sujeitos e a construção social do conhecimento.


PDF

Fechar Mais informações

Artigo

Comprometimento organizacional de trabalhadores da vigilância sanitária em municípios do estado de Goiás

Melo, M A d S;
Bezerra, J C B;
Coleta, M F D;
Puente-Palacios, K E;
et al.

10.1590/1981-7746-sip00018

Comprometimento organizacional de trabalhadores da vigilância sanitária em municípios do estado de Goiás

Trata-se de estudo de campo, com abordagem quantitativa, sobre o nível de comprometimento organizacional de fiscais da vigilância sanitária municipal. Foram analisadas possíveis diferenças entre os grupos amostrais, divididos de acordo com suas características sociodemográficas. Participaram do estudo 335 fiscais de 53 municípios de Goiás, que responderam à Escala de Bases do Comprometimento Organizacional em 2011. A escala aborda sete diferentes tipos de vínculo que os trabalhadores têm em relação à instituição onde trabalham, além de dados pessoais e profissionais. As análises realizadas foram: descritivas, de variância e testes qui-quadrado. Encontrou-se alto comprometimento afetivo e alto sentimento de obrigação pelo desempenho no trabalho, baixos níveis nos sentimentos de afiliação e de obrigação em permanecer trabalhando na vigilância sanitária municipal, bem como diferenças entre grupos quando levadas em conta as características individuais e profissionais. Os gestores públicos da área devem atentar para a importância dos recursos humanos no desenvolvimento das políticas públicas e priorizar ações que resultem em níveis elevados de comprometimento desses profissionais.


PDF

Fechar Mais informações

Artigo

Repercussões da ambiência hospitalar na perspectiva dos trabalhadores de limpeza

Petean, E;
Costa, A L R C d;
Ribeiro, R. L. R.

10.1590/1981-7746-sip00005

Repercussões da ambiência hospitalar na perspectiva dos trabalhadores de limpeza

Objetivou-se compreender o trabalho de limpeza hospitalar da perspectiva dos trabalhadores e descrever, na visão deles, as repercussões da ambiência hospitalar sobre o seu cotidiano de vida e trabalho. É um estudo de caso de abordagem qualitativa, empregando a hermenêutica como apoio teórico-metodológico. Os dados foram colhidos por meio da observação não participante e de entrevista com cinco trabalhadoras da limpeza de um hospital universitário. A análise foi por meio de leituras, buscando-se as unidades de significados contidas na transcrição dos dados empíricos, que permitiu o desmembramento em duas categorias: o cotidiano do trabalho de limpeza hospitalar e os reflexos da terceirização na vida do trabalhador da limpeza hospitalar. No hospital estudado, predominou o trabalho feminino e a constante preocupação com os riscos à saúde, principalmente os riscos biológicos. A terceirização reflete-se diretamente sobre o trabalhador, causando-lhe a sensação de um menor valor social e humano. Aponta-se a necessidade dos hospitais oferecerem um ambiente mais acolhedor ao trabalhador terceirizado da limpeza, tão exigidos física e mentalmente.


PDF

Fechar Mais informações

Resenha

Diálogos paradigmáticos sobre informação para a área da saúde

Cunha, E. M.

Diálogos paradigmáticos sobre informação para a área da saúde

Diálogos paradigmáticos sobre informação para a área da saúde. Virgínia Bentes Pinto e Henry de Holanda Campos (Orgs). Fortale za: Edições UFC, 2013, 444p.


PDF

Fechar Mais informações

Resenha
Resenha

O mito da grande classe média: capitalismo e estrutura social. Marcio Pochmann. São Paulo: Boitempo Editorial, 2014, 148p.

Castro, R. P.

O mito da grande classe média: capitalismo e estrutura social. Marcio Pochmann. São Paulo: Boitempo Editorial, 2014, 148p.

O mito da grande classe média: capitalismo e estrutura social. Marcio Pochmann. São Paulo: Boitempo Editorial, 2014, 148p.


PDF

Fechar Mais informações

Resenha
Ensaio

Contribuições epistemológicas da ergologia para a regulação em saúde

Gamarra, T. P. d. N.

10.1590/1981-7746-sip00001

Contribuições epistemológicas da ergologia para a regulação em saúde

A regulação em saúde consiste em uma atividade complexa que compreende diversos instrumentos e estratégias e pode ser dividida em duas dimensões: socioeconômica e gerencial. Este estudo teórico-conceitual busca discutir como os referenciais da abordagem ergológica contribuem epistemologicamente para a regulação em saúde. A ergologia é considerada uma tentativa de compreensão do ir e vir do microcosmo da atividade humana ao macrocosmo da vida social. Tal perspectiva discute o debate de normas e valores e as crises permanentes entre o econômico, o político, o jurídico e a atividade humana que existem na sociedade. Nesse sentido, o presente estudo discute como a abordagem dialética da ergologia, isto é, uma perspectiva que considera que o avanço histórico-social ocorre por meio de oposições, pode contribuir no entendimento da arena de disputas em que se converte a atividade regulatória em saúde, no consequente fortalecimento dos seus objetivos sociais, econômicos e gerenciais e na minimização de seus principais limites.


PDF

Fechar Mais informações

Relato de experiência

Program labor education and training in mental health

Program labor education and training in mental health

Aqueles que sofrem psiquicamente encontram-se em situação de vulnerabilidade psicossocial devido não somente aos obstáculos próprios de sua doença, mas também ao estigma relacionado com a saúde mental. Apresenta-se neste artigo uma experiência de participação social na área de desempenho ocupacional trabalho, por meio da criação de um Programa de Capacitação e Formação de Trabalho em uma organização não governamental na cidade de Buenos Aires, Argentina. Trata-se de um estudo de caso realizado num período de seis meses, quando duas pessoas com sofrimento psíquico foram incorporadas ao Programa de Trabalho com o objetivo de facilitar o desenvolvimento de capacidades de desempenho ocupacional e gerar modificações no cotidiano, em ambos participantes e integrantes das instituições. Nesse sentido, este contexto de capacitação com articulação entre uma instituição de saúde mental e o setor público, por meio do Ministério de Trabalho, Emprego e Segurança Social da Argentina, implicou um desafio dentro e fora do âmbito de trabalho, permitindo explorar e visualizar como os processos de inclusão podem ser gerados com o compromisso de diferentes atores e setores da sociedade.


PDF

Fechar Mais informações

Agradecimentos aos pareceristas

Listagem de pareceristas adhoc do volume 12 (ano 2014)

, R.

Listagem de pareceristas adhoc do volume 12 (ano 2014)


PDF

Fechar Mais informações