A Trabalho, Educação e Saúde (TES) é uma revista científica em acesso aberto, editada pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz.

Provimento médico na atenção primária à saúde no estado da Paraíba por meio do Programa Mais Médicos

  • Maria Helena de Azevedo Leitão
  • Maria Vanessa Dias da Silva
  • Aguyda Naiara de Lima Pereira Bento
  • Aletheia Soares Sampaio
  • Ana Lucia Ribeiro de Vasconcelos
  • Sydia Rosana de Araujo Oliveira
  • Maria Helena de Azevedo Leitão

    Fundação Oswaldo Cruz , Instituto Aggeu Magalhães , Departamento de Saúde Coletiva , Recife , Brasil

    Maria Vanessa Dias da Silva

    Fundação Oswaldo Cruz , Instituto Aggeu Magalhães , Departamento de Saúde Coletiva Recife , Brasil

    Aguyda Naiara de Lima Pereira Bento

    Fundação Oswaldo Cruz , Instituto Aggeu Magalhães , Departamento de Saúde Coletiva Recife , Brasil

    Aletheia Soares Sampaio

    Fundação Oswaldo Cruz , Instituto Aggeu Magalhães , Departamento de Saúde Coletiva , Recife , Brasil

    Ana Lucia Ribeiro de Vasconcelos

    Fundação Oswaldo Cruz , Instituto Aggeu Magalhães , Departamento de Saúde Coletiva , Recife , Brasil

    Sydia Rosana de Araujo Oliveira

    Fundação Oswaldo Cruz , Instituto Aggeu Magalhães , Departamento de Saúde Coletiva , Recife , Brasil



Resumo

A provisão médica tem sido fruto de debates internacionais há décadas, inclusive no Brasil, onde há um cenário de déficit e má distribuição de médicos. Esta pesquisa objetivou descrever o perfil dos médicos inseridos no Programa Mais Médicos a fim de avaliar a qualidade do provimento médico. Trata-se de um estudo quantitativo do tipo transversal, descritivo, seguido de estudo de caso baseado em informações de 272 questionários, no período de 2015 e 2016.Os dados foram analisados com o programa estatístico IBM SPSS v.22.0. A idade média dos entrevistados foi de 38,2 anos, sendo 50,7% do sexo feminino, 11% estavam no primeiro emprego, 51,1% tinham entre 1 e 5 anos de formado e 85% disseram ter experiência de trabalho na Atenção Primária à Saúde. Observou-se que, com a implantação do Programa na Paraíba, houve uma mudança não apenas no quantitativo de médicos, como também no número de postos de trabalho, na interiorização e redistribuição desses profissionais. Todavia, há 22 municípios paraibanos sem médico, e 85,3% dos médicos inseridos no Programa sem título de especialista. Denota-se que as condições de acesso e a qualidade dos serviços prestados constituem um grande desafio a ser superado, com fundamental participação reguladora do Estado.

Palavras-chave

atenção primária à saúde,
médicos de atenção primária,
saúde pública,
política de saúde,
área carente de assistência médica

Download


Métricas

  • Visualizações - 34

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License. Copyright (c) 2022 Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.