A Trabalho, Educação e Saúde (TES) é uma revista científica em acesso aberto, editada pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz.

Ansiedade e depressão em atendimento presencial e telessaúde durante a pandemia de Covid-19: um estudo comparativo

  • Gabriel Trevizani Depolli
  • Jéssica Nascimento Brozzi
  • Andressa de Oliveira Perobelli
  • Bruno Lima Alves
  • Carmen Barreira-Nielsen
  • Gabriel Trevizani Depolli

    Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória

    Jéssica Nascimento Brozzi

    Universidade Federal do Espírito Santo, Vitória

    Andressa de Oliveira Perobelli

    Universidade Federal do Espírito Santo, Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes

    Bruno Lima Alves

    Universidade Federal do Espírito Santo, Departamento de Fonoaudiologia, Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes

    Carmen Barreira-Nielsen

    Universidade Federal do Espírito Santo, Departamento de Fonoaudiologia, Hospital Universitário Cassiano Antônio Moraes



Resumo

O estudo visou comparar escores de ansiedade e depressão em profissionais da saúde em atendimento remoto ou presencial em um hospital universitário brasileiro durante a pandemia de Covid-19 e identificar fatores associados à ansiedade e à depressão. Para tanto, realizou-se um estudo observacional e transversal. Os participantes responderam
aos protocolos Patient Health Questionnaire-9 e General Anxiety Disorder-7, além de um questionário sociodemográfico, e foram divididos em três grupos: profissionais da telessaúde (G1), profissionais que exercem de maneira presencial (G2) e profissionais que exercem de ambas as formas (G3). Participaram 159 profissionais da saúde, sendo 36 homens e 123 mulheres, a maioria de enfermeiros, com a média de idade de 42 anos. Os participantes do G2 apresentaram maiores escores de ansiedade e depressão quando comparados aos demais. No entanto, não houve diferenças e associações estatísticas significantes entre esses grupos (p>0,05). ‘Idade’, ‘tipo de profissão’ e ‘receber diagnóstico de Covid-19’ tiveram associações estatísticas com ansiedade e depressão. Concluiu-se que não houve diferença significante entre ansiedade e depressão em profissionais da saúde que trabalham de forma remota ou presencial, assim como não houve associações entre os protocolos e os grupos. ‘Idade’ ‘profissão’ e ‘receber diagnóstico de Covid-19’ podem interferir nesses escores.

Palavras-chave

ansiedade,
depressão,
infecções por coronavírus,
profissionais da saúde,
telemedicina

Download


Métricas

  • Visualizações - 97

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License.