A Trabalho, Educação e Saúde (TES) é uma revista científica em acesso aberto, editada pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz.

Perspectivas para o ensino na saúde: do 'apagão educacional' à política de educação permanente

  • Renata de Lima Pacheco Nideck
  • Paulo Pires de Queiroz
  • Renata de Lima Pacheco Nideck

    Fundação Municipal de Saúde de Niterói, Niterói, Rio de Janeiro, Brasil. Mestranda em Enfermagem pela Universidade Federal Fluminense

    Paulo Pires de Queiroz

    Universidade Federal Fluminense, Niterói, Rio de Janeiro, Brasil. Doutor em Filosofia e Humanidades pela Columbia Pacific University



Resumo

O artigo aborda a educação permanente na ótica reflexiva e rizomática, abrangendo a necessidade de desterritorializar os saberes circulantes na saúde. Trata-se de pesquisa bibliográfica cujo referencial teórico estrutura-se no materialismo histórico marxista. O estudo descreve um breve histórico sobre a política educacional com base em dois eventos marcantes ocorridos na década de 1980: a escassez de trabalhadores para o trabalho complexo, denominado ‘apagão educacional’, e o surgimento do novo ensino superior no Brasil. Tais eventos, ao atravessarem a formação profissional, reproduzem na educação em serviço a estrutura do conhecimento mais hierarquizada. Se o ensino na saúde apresenta limitações, oferece também possibilidades e perspectivas para romper com a rigidez epistemológica e aproximar-se da educação menor e do crescimento de rizomas nas práticas em saúde.

Palavras-chave

Educação permanente,
SUS,
Profissional reflexivo,
Educação menor,
Pedagogia rizomática

Download


Métricas

  • Visualizações - 20

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License. Copyright (c) 2022 Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio