A Trabalho, Educação e Saúde (TES) é uma revista científica em acesso aberto, editada pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz.

Impasses, desafios e as interfaces da educação alimentar e nutricional como processo de participação popular

  • Juliana Pereira Casemiro
  • Alexandre Brasil Carvalho da Fonseca
  • Elaine Cristina da Silva Machado
  • Solange Carvalho Peres
  • Juliana Pereira Casemiro

    Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, Brasil. Doutora em Educação em Ciência e Saúde pela Universidade Federal.

    Alexandre Brasil Carvalho da Fonseca

    Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, Brasil. Doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo.

    Elaine Cristina da Silva Machado

    Nutricionista da Secretaria Municipal de Educação de Duque de Caxias, Duque de Caxias, Rio de Janeiro, Brasil.

    Solange Carvalho Peres

    Nutricionista da Secretaria Municipal de Educação de Duque de Caxias, Duque de Caxias, Rio de Janeiro, Brasil



Resumo

Este artigo apresenta experiências de nutricionistas em atividades de educação alimentar e nu-tricional desenvolvidas, nos últimos dez anos, nas escolas de Duque de Caxias, município do estado do Rio de Janeiro. A metodologia de sistematização de experiência tem como pressuposto que esta atividade coletiva de aprendizagem se dá a partir da interpretação crítica das práticas em diálogo com a teoria. Foram realizadas consultas em acervos pessoais e de projetos e, posteriormente, entrevistas individuais e coletivas com nutricionistas. Pôde-se registrar grande diversidade nas ações desenvolvidas, interesse na atuação intersetorial e progressiva incorporação do discurso do direito à alimentação. As parcerias estabelecidas entre nutricionistas e movimentos populares marcam a descrição das experiências. A educação alimentar e nutricional foi afirmada como campo de atuação interdisciplinar. Em contextos de grande injustiça torna-se essencial incorporar princípios da educação popular, tais como amorosidade, diálogo e compromisso com os oprimidos. A sistematização sinaliza que nutricionistas, responsáveis, professores, merendeiras e outros profissionais da escola têm sido importantes atores nas experiências, além de indicar o potencial de ampliação da participação de estudantes.

Palavras-chave

educação alimentar e nutricional,
sistematização de experiências,
direito humano a alimentação adequada

Download


Métricas

  • Visualizações - 39

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License. Copyright (c) 2022 Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

Artigos Semelhantes

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >> 

Você também pode iniciar uma pesquisa avançada por similaridade para este artigo.