A Trabalho, Educação e Saúde (TES) é uma revista científica em acesso aberto, editada pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz.

Conhecimento de uma equipe da estratégia saúde da família sobre a política de atenção à saúde masculina

  • Luís Paulo Souza e Souza
  • Eliane Rodrigues Almeida
  • Mariana Almeida Queiroz
  • José Rodrigo da Silva
  • Ana Augusta Maciel de Souza
  • Maria Fernanda Santos Figueiredo
  • Luís Paulo Souza e Souza

    Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Mestrando pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais.

    Eliane Rodrigues Almeida

    Faculdades Integradas Pitágoras, Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. Graduada em Enfermagem por Faculdades Integradas Pitágoras.

    Mariana Almeida Queiroz

    Faculdades Integradas Pitágoras, Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. Graduada em Enfermagem por Faculdades Integradas Pitágoras.

    José Rodrigo da Silva

    Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Mestrando em Promoção de Saúde e Prevenção da Violência na Universidade Federal de Minas Gerais

    Ana Augusta Maciel de Souza

    Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. Mestre em Saúde Coletiva pela Universidade Federal de São Paulo.

    Maria Fernanda Santos Figueiredo

    Universidade Estadual de Montes Claros, Montes Claros, Minas Gerais, Brasil. Doutoranda em Ciências da Saúde na Universidade Estadual de Montes Claros



Resumo

O estudo avalia o conhecimento de uma equipe da Estratégia Saúde da Família da cidade de Montes Claros, Minas Gerais, sobre a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem. Tratase de um estudo exploratório, descritivo, com abordagem qualitativa, caracterizandose como estudo de caso, realizado com profissionais de uma unidade de saúde. Os dados foram coletados por meio de entrevista, no primeiro semestre de 2011. A maioria dos entrevistados apresentou conhecimento mínimo sobre a referida política, atribuído à limitação de informativos, inexistência de manuais do Ministério da Saúde e ausência de profissionais capacitados, ausência das esferas municipal, estadual ou federal. Parte dos entrevistados conhecia a composição da política, enquanto a totalidade sabia descrever o conhecimento real e amplo das características do processo saúdedoença masculino. Assim, tornase importante considerar esse conhecimento prévio dos profissionais sobre essa população e investir em estratégias de capacitação deles, subsidiando assim a efetivação das ações de promoção, reabilitação e recuperação da saúde, diminuindo os indicadores de morbidade e mortalidade, como prevê a Política Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem.

Palavras-chave

saúde do homem,
atenção primária à saúde,
conhecimento,
serviços de saúde

Download


Métricas

  • Visualizações - 23

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License. Copyright (c) 2022 Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio