A Trabalho, Educação e Saúde (TES) é uma revista científica em acesso aberto, editada pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz.
Alberto Giuliani, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Prevalência de sintomas de depressão e ansiedade em trabalhadores durante a pandemia da Covid-19

  • Romilda Guilland
  • Sarah Gisele Martins Klokner
  • Janete Knapik
  • Pedro Augusto Crocce-Carlotto
  • Karen Rayany Rodio-Trevisan
  • Sofia Cieslak Zimath
  • Roberto Moraes Cruz
  • Romilda Guilland

    UFSC

    Sarah Gisele Martins Klokner

    2 Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Florianópolis, Brasil

    https://orcid.org/0000-0002-4074-873X

    Janete Knapik

    Universidade Positivo, Departamento de Psicologia, Paraná, Brasil. Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Florianópolis, Brasil

    Pedro Augusto Crocce-Carlotto

    Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Florianópolis, Brasil.

    Karen Rayany Rodio-Trevisan

    Universidade Federal de Santa Catarina, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Florianópolis, Brasil

    Sofia Cieslak Zimath

    Universidade da Região de Joinville, Curso de Psicologia, Joinville, Brasil.

    https://orcid.org/0000-0002-5144-7529

    Roberto Moraes Cruz

    Universidade Federal de Santa Catarina, Faculdade, Centro de Filosofia e Ciências Humanas, Programa de Pós-Graduação em Psicologia, Florianópolis, Brasil



Resumo

O estudo avaliou a prevalência de sintomas de depressão e ansiedade em uma amostra de trabalhadores brasileiros de diversos segmentos, durante a pandemia da Covid-19. Foi também verificada a correlação entre as escalas de ansiedade e depressão dos instrumentos de rastreio. Foram coletados dados on-line por meio de três instrumentos: questionário sociodemográfico e ocupacional, a Depression, Anxiety and Stress Scale - Short Form e o Inventário de Saúde Mental Ocupacional. Participaram 503 profissionais, destes 78,5% do sexo feminino, com idade média de 41,38 anos, das quais 92% cursaram o ensino superior e residiam na região Sul do Brasil. Ambas as escalas detectaram maior prevalência de sintomas de ansiedade em mulheres (54,3% e 59,9%) e em pessoas solteiras (68,8% e 68,1%). Houve associação significativa entre desfechos de sintomas de ansiedade e depressão e prevalência de duas variáveis independentes: o contato com pessoas diagnosticadas com Covid-19 e sentir-se preocupado com a pandemia. O Inventário de Saúde Mental Ocupacional mostrou maior sensibilidade para aferir sintomas de ansiedade e discriminar os trabalhadores que apresentam sintomas daqueles que indicam ter saúde mental, quando comparado ao outro instrumento. Sugerem-se estudos longitudinais para capturar os efeitos de longo termo dos desfechos avaliados, a fim de aperfeiçoar a análise dos preditores dos valores críticos e não críticos dos sintomas de agravos à saúde mental.

Foto: Alberto Giuliani, CC BY-SA 4.0, via Wikimedia Commons

Palavras-chave

trabalhadores,
prevalência,
ansiedade,
depressão,
Covid-19

Download


Métricas

  • Visualizações - 700

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License. Copyright (c) 2022 Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio