A Trabalho, Educação e Saúde (TES) é uma revista científica em acesso aberto, editada pela Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz.

Desigualdades raciais em saúde e a pandemia da Covid-19

  • Emanuelle Freitas Góes
  • Dandara de Oliveira Ramos
  • Andrea Jacqueline Fortes Ferreira
  • Emanuelle Freitas Góes

    Fundação Oswaldo Cruz, Centro de Integração de Dados de Conhecimentos para Saúde (CIDACS); GT Racismo e Saúde da Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco), Salvador, Brasil.

    Dandara de Oliveira Ramos

    Universidade Federal da Bahia, Instituto de Saúde Coletiva, Salvador, Brasil.

    Andrea Jacqueline Fortes Ferreira

    Universidade Federal da Bahia, Instituto de Saúde Coletiva, Salvador, Brasil.



Resumo

O racismo é um sistema estruturante, gerador de comportamentos, práticas, crenças e preconceitos que fundamentam desigualdades evitáveis e injustas, baseadas na raça ou etnia. Na saúde o racismo pode se manifestar de diversas formas, como o institucional, que frequentemente ocorre de forma implícita. A pandemia do coronavírus tem sido um desafio para países que apresentam profundas desigualdades. No Brasil, em que pese a ausência das informações desagregadas por raça ou etnia ou que quando coletadas apresentam um preenchimento precário, sabe-se que negras e negros irão sofrer mais severamente os impactos da pandemia e seus vários desfechos negativos. No texto recuperamos aspectos históricos e sua relação com as condições de vulnerabilidade da população negra e apresentamos uma agenda de ações específicas para o combate ao racismo e suas devastadoras consequências no contexto da Covid-19.

Palavras-chave

desigualdades raciais,
Covid-19,
vulnerabilidades sociais

Download


Métricas

  • Visualizações - 60

Creative Commons License
Este trabalho está licenciado sob uma licença Creative Commons Attribution 4.0 International License. Copyright (c) 2022 Fundação Oswaldo Cruz, Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio